Home / Sustentabilidade / Para onde vai o lixo eletrônico que sua empresa produz?

Para onde vai o lixo eletrônico que sua empresa produz?

Atualmente, descartar um aparelho eletrônico para adquirir um de modelo mais novo com tecnologia mais avançada é um hábito e isso aumenta a quantidade deste tipo de lixo. O que sua empresa faz com os equipamentos e peças que troca? Lixo eletrônico é um problema muito sério.

Por ser uma empresa que fornece ferramentas inovadoras que agilizam o reparo eletrônico,  a VeRSis investe neste mercado de reparos, que está em franco crescimento. Além de ser um negócio  interessante, contribui para a reciclagem de produtos eletrônicos  ao invés  do simples descartar.  A sustentabilidade é, portanto, uma palavra de ordem na VeRSis.

A TEL-NT Brasil, uma subsidiária do grupo norte-americano Telmar Network Technology, é  outro exemplo de empresa   que contribui para a sustentabilidade de forma consciente. Com um laboratório independente, localizado na cidade de Valinhos, a 90 km de São Paulo,  repara equipamentos de telecomunicações  para as operadoras, e com isso permite que plantas de equipamentos antigos tenham uma sobrevida longa . Com isso, chega a  recuperar mais de cinco mil modelos, de diversos fabricantes e tecnologias, e até 10 mil unidades por mês. Os equipamentos usados, antigas tecnologias que são desativadas por outras operadoras, são comprados pela TEL-NT, reformados e vendidos para vários países do mundo. Além disso, a TEL-NT oferece suporte de reparo para estes países. Para esta nobre  tarefa, a empresa  utiliza localizadores de  defeitos  VRS-565 da VeRSis.

Mas não só  empresas privadas estão atentas a esse assunto e tomando atitudes  que contribuem para a sustentabilidade.  A USP (Universidade de São Paulo) tem o Cedir (Centro de Descarte e Reuso de Resíduos de Informática), um órgão que recebe  e transforma o lixo eletrônico  em algo com valor, mas não estamos falando do lado financeiro e sim do reaproveitamento de cada  módulo eletrônico. Uma  placa aqui, outra dali e se  montam computadores que são emprestados para ONGs até voltarem para o Cedir e terem suas peças recicladas.

Lojas como C&A e Casa e Construção, iniciaram no mês de julho, na cidade de São Paulo, o Mutirão do Lixo Eletrônico. Essa iniciativa é uma parceria com o projeto Conversa Sustentável que pretende ultrapassar duas toneladas de materiais recolhidos  e promover a conscientização da população sobre o correto destino dos equipamentos.

Em Santa Catarina, a Secretaria de Agricultura e Pecuária de Guaramirim promoveu uma campanha que pretendia somente contribuir com o meio ambiente recolhendo o lixo eletrônico e fazendo o procedimento correto de descarte das peças. Mas acabou descobrindo que havia a possibilidade de reutilizar o material. O projeto recuperou computadores e demais equipamentos que foram destinados a famílias carentes que não tinham condições de comprar.

Aos poucos vão surgindo diferentes ideias para resolver o problema do lixo eletrônico.

Acrescente aqui histórias que você conhece de empresas que contribuem para que em breve esse assunto não seja mais um problema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *